quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Condição básica para uma boa comunicação

Temos tendência a gostar e a confiar nas pessoas que se parecem conosco. Quando há, entre pessoas, uma relação de interesse, confiança, abertura, disponibilidade, harmonia, cooperação, dizemos que estão em rapport. Rapport é essencial, pois é o fundamento duma boa comunicação.

O processo para entrar em rapport, em PNL, é a chamada “sincronização” que é baseada nesta lei da semelhança. A técnica específica empregue é o “espelhamento”. Espelhar consiste em entrar no ritmo da outra pessoa, imitando-lhe os movimentos, a postura, os atributos vocais, as frases chaves e até mesmo a sua respiração - os atributos do sistema de representação sensorial do outro.

2 comentários:

Dani disse...

hmmm... nunca entendi bem a necessidade de fazer rapport.

Onde entra a autenticidade nisto tudo? Que me interessa imitar o outro? Será preciso imitar para estabelecer uma boa comunicação? Isto não entra na esfera da manipulação?

José Figueira disse...

O Dani tem toda a razão, não há necessidade nenhuma. Desde que haja boa comunicação há “rapport”. “Rapport” pode precisamente ser considerado como sinónimo de boa comunicação.
“Rapport” só é útil quando estamos mesmo interessados no outro: queremos comunicar e, apesar disso, não conseguimos. Então o espelhamento (técnica da sincronização) pode ajudar. Se há comunicação, as pessoas já se espelham naturalmente (fazemos isso todo o dia). Na neurociência dos últimos anos fundamenta-se isso cientificamente nos neurónios de espelhamento que todos nós possuímos. Sem isso era impossível sentir o outro e por consequência, seria impossível comunicar.
“Rapport” foi muito mal compreendido e muito mal utilizado (sobretudo por vendedores, sedutores e manipuladores mal-intencionados). Foi empregue sem o que é fundamental neste método: respeito, ecologia, serviço ao outro, contribuição para um mundo mais harmonioso, aprazível e saudável.
“Rapport” era essencialmente empregue para definir um estado no contacto hipnoterapeutico que favorece a mudança positiva e a cura do cliente.
Também se diz que, na verdade, “rapport” é manipulação. Nesse sentido toda a comunicação é manipulação. Aliás, toda a linguagem é manipulação. Qualquer palavra que se empregue (paz, burro, silêncio, asneira, merda), vai manipular o outro, na medida em que o obriga a procurar determinadas experiências que o levam a um estado emocional. Sempre, 24 horas por dia!